Foi inaugurado no dia 13 de Outubro em Nova York uma estátua que significa uma das personagens da mais controversas da mitologia Grega, a Górgona Medusa.

Diferente da Mitologia, agora temos a vitória sobre Perseus.

A estátua está localizada em um parque próximo ao tribunal onde o produtor de cinema Harvey Weistein foi condenado a 23 anos de prisão por estupro e assédio com várias mulheres da indústria cinematográfica.

O Idealizador da estátua é o argentino Luciano Garbati, criou a estátua pensando em homenagear o movimento #MeToo.

Em uma das versões do Mito da Medusa, a personagem era uma bela jovem que foi estuprada por Poseidon dentro do templo da Deusa Athena.

A Deusa então pune a Medusa, transformando em um monstro com a cabeça cheia de cobras e que transforma os homens em Pedra. O resto da lenda todo mundo conhece.

Com essa nova releitura do mito, temos a crítica sobre como a história foi contada e colocada sobre o ponto de vista do arquétipo do herói masculino.

Pensando nisso na tarde de ontem a Justiça resolveu absolver André Aranha do caso comprovado de Estupro de Mari Ferrer. Mesmo com todas as provas apresentadas a seu favor, Mari se torna a figura amaldiçoada assim como a Medusa.

Em tempos em que devemos repensar as estátuas e monumentos ao nosso redor a criação da “Medusa com a Cabeça de Perseu” vem em um momento importante da nossa história.